• Patrícia Silva

São Val€ntim

Atualizado: 5 de Mar de 2020

Curiosamente, vi há uns dias atrás um post numa rede social, claramente de alguém solteiro, que dizia em jeito de brincadeira: “já que os dias 30 e 31 do mês de fevereiro não existem, porque não retiraram também o dia 14?”. Aquela pequena publicação pôs-me a pensar: E se o dia dos namorados não existisse?


Fonte: mulherportuguesa.com

Certamente, sem o dia de São Valentim, o amor dos casais acabaria. Digo isto porque esta celebração é fundamental para reacender, por um dia, o amor de todos eles. Todos os defeitos do marido desatencioso, e da mulher fala-barato e ciumenta, nessa data, desaparecem, como se Valentim voltasse a acertar com as suas potentes setinhas nos corações ocupados, sejam eles moles ou de pedra dura.


Com a ausência desta comemoração, todo o mercado de flores, hotéis e chocolates acabariam por ter graves problemas. Isto porque os casais têm em mente que vai ser uma noite num hotel de cinco estrelas com vista para o monte, varanda e jacuzzi no próprio quarto, que levará ao esquecimento das discussões dia-sim dia-não. Os chocolates até se percebe, porque um quadradinho do doce pode adoçar até os mais azedos. As flores são, novamente, algo que me causa uma certa confusão.Para além de terem o tempo de vida de 24 horas, o seu uso, na atualidade, serve mais para proveito pessoal, que sentimental. Fotos destas nas redes sociais e um textinho direcionado para o companheiro apresentam-se já como tradições nessa época.


Por esquecimento, não incluí os restaurantes na diminuta listagem anterior. Mas estes talvez sejam os que mais beneficiam com o acontecimento, que, pode, aliás, ser considerado “o do ano”. A par disto, os preços disparam e com a sua devida razão, pois comprar flores para desfazer em pétalas e colocar velas em todas as mesas fica, obviamente, mais caro ao estabelecimento.


Recorrendo à idiomática expressão de Karl Marx, com pontuais alterações:”Homens de todo o mundo, uni-vos” e acabai com a palhaçada comercial que esta data, efetivamente, é. O amor é como uma planta, e, por essa mesma razão, é necessário ser cuidado todos os dias, com dedicação, tempo e vontade. Se a planta já murchou, não vai ser um dia a dar-lhe tudo o que ela precisa para viver, em doses industriais, que a vai fazer renascer.


Não há mal que o dia de São Valentim cure!

0 comentário
Contacto
  • Facebook
  • Instagram
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Twitter Ícone
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now