(Re)aprender a viver

Fotorreportagem da autoria de Karys Jordão


A pandemia da Covid-19 deu uma segunda oportunidade ao planeta Terra. A queda na procura do petróleo, a diminuição no consumo do carvão e a contenção de voos resultaram numa diminuição de cerca de 9,6 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2). No entanto, a balança entre o bom e o mau não está, de todo, equilibrada. O turismo caiu, a restauração vai-se aguentando como pode e milhões de pessoas ficaram desempregadas. 


Fomos obrigados a reaprender a viver, limitados às paredes das nossas casas, saindo apenas para o essencial – compras, exercício físico, passear o animal de estimação – e pouco mais. A família (para alguns), os amigos, os abraços, os beijinhos, ficaram pendentes; as ruas estão vazias e irreconhecíveis e os olhos das pessoas pintam o medo, a incerteza do futuro e a esperança de melhoras urgentes. 

20 de fevereiro de 2020

Baixa de Coimbra. As esplanadas enchiam com os dias de sol e ainda era possível saborear um bom café, acompanhado por um cigarro. 


23 de fevereiro de 2020

Café Concerto, Pombal. Ainda tudo estava dentro do considerado “normal”. Universidades esperavam pela decisão do Governo e os estabelecimentos continuavam abertos.


09 de março de 2020

Rio Mondego, Coimbra. O primeiro caso do coronavírus em Portugal apareceu no dia 2 de março. No dia 9, ainda tudo funcionava dentro da normalidade. Este foi dia de mais um espetáculo da natureza. A lua cheia foi fotografada e partilhada por muitas pessoas. 

No dia 18 de março de 2020 é decretado o primeiro Estado de Emergência em Portugal. Esta decisão não foi assimilada por todos de igual forma. Aos poucos, as pessoas foram-se consciencializando. 


24 de março de 2020

Santa Clara, Coimbra. Este produto passou a ser indispensável nas nossas rotinas. Em poucos dias, esgotou em todas as superfícies comerciais e farmácias.

Santa Clara, Coimbra. Algumas faculdades já estavam encerradas, mas as atividades letivas não cessaram.


27 de março de 2020

Santa Clara, Coimbra. Não há esplanadas prontas para nos receber, mas o café de casa também serve. E depois do almoço, não pode faltar.


29 de março de 2020

Santa Clara, Coimbra. As redes sociais já se encheram de mensagens de esperança e apelos dos chamados influencers (e não só) e, entretanto, começaram também a desafiar-se na cozinha. Então vamos lá (tentar) manter uma alimentação equilibrada, para não sair a rebolar desta quarentena! Sai um batido de espinafres, maçã verde, hortelã, um bocadinho de água e sumo de  limão.

01 de abril de 2020

Santa Clara, Coimbra. Desta janela, a vista torna-se monótona. Os autocarros deixam de parar às 07h15 da manhã para deixar os meninos. Da escola aqui do lado, os gritos dos mais novos são substituídos pelo som dos passarinhos empoleirados nas árvores.


02 de abril de 2020

Parque Verde do Mondego, Coimbra. Já conscientes da dimensão do vírus que afetara o país e o Mundo, os portugueses continuaram a exercitar-se.


04 de abril de 2020

Santa Clara, Coimbra. Ruas mais vazias. As pessoas temem a propagação do vírus e resguardam-se cada vez mais.


07 de abril de 2020

Santa Clara, Coimbra. A operação Páscoa entrara em vigor a partir da meia noite do dia 9 de abril. O Governo impediu a circulação dos portugueses fora do seu concelho de residência, salvo algumas exceções. A luta continua. As estradas estão cada vez mais vazias, mas há quem continue a trabalhar para impedir a propagação do vírus. De casa, ouve-se um barulho fora do comum. São estas pessoas que, ao invés de se estarem a resguardar ao pé da sua família, andam pelas ruas a zelar pela saúde de todos. Também elas não devem ser esquecidas…

08 de abril de 2020

Freguesia de Santiago de Litém, concelho de Pombal. Como passar o tempo? Esta é questão que vive dentro da casa de muita gente. As ideias são cada vez mais escassas e o stress e ansiedade começam a aparecer e a apoderar-se de todos. É normal, faz parte. Afinal, estamos todos a reaprender a viver com limites que não podemos ultrapassar. A Natureza, essencialmente a agricultura, têm sido a salvação para muitos. 


11 de abril de 2020

Freguesia do Louriçal, concelho de Pombal. De madrugada, os olhos cerram de tanto cansaço, mas o foco consegue ser superior e vence. Viver no campo é um misto de coisas boas, com coisas ainda melhores. É aqui que se aprende a valorizar e apreciar as coisas mais simples da vida. Visitas inesperadas…


15 de abril de 2020

Freguesia do Louriçal, concelho de Pombal. Este é o cenário cada vez mais comum em Portugal. As pessoas resguardam-se e anseiam por uma solução que permita o retorno à vida normal.


18 de abril de 2020

Freguesia do Louriçal, concelho de Pombal. Os cenários não fogem disto. Os estudantes em aulas através de plataformas online e os que agora trabalham em casa, em teletrabalho, acomodam-se da melhor forma possível.



20 de abril de 2020


Freguesia do Louriçal, concelho de Pombal. Com a renovação do Estado de Emergência, é da janela que olhamos para o Mundo e ansiamos que tudo passe. É da janela que, conscientes, olhamos para a vida lá fora, hoje, com olhos diferentes; é da janela que refletimos sobre cafés que ficaram por tomar, conversas por acabar e tempo com a família por aproveitar. Porque, afinal… amanhã havia tempo; é da janela que vemos uma segunda oportunidade para valorizar o tempo, o amor, as pessoas e a liberdade. O amanhã é relativo. Façamos hoje. Num mês em que celebramos a liberdade, ela foi-nos retirada por um vírus.




“A verdadeira medida de um homem não se vê na forma como se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas em como se mantém em tempos de controvérsia e desafio.” – Martin Luther King




0 comentário
Contacto
  • Facebook
  • Instagram
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Twitter Ícone
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now