• Tomás Barros

Paulo Almeida: “O humor como arma”

A Sapiens Digitalis esteve à conversa com Paulo Almeida. O humorista e guionista, que conta com mais de 1000 atuações de stand-up, abordou a importância do humor nas fases mais delicadas da vida. A emergência de novos conteúdos humorísticos na internet e como o Covid-19 molda o material desenvolvido foram alguns dos tópicos em reflexão.


Para o humorista que já trabalhou para a SIC Radical, TVI e Antena 3, a quarentena não tem afetado a sua produtividade. Há muito tempo que faz da sua casa o seu local de trabalho. Acrescenta que toda esta situação que é vivida não afeta o seu processo criativo pela negativa, muito pelo contrário.


Paulo Almeida defende que o número de conteúdos humorísticos tem aumentado nas redes sociais devido ao confinamento, fruto da impossibilidade destes e muitos outros artistas poderem realizar os seus espetáculos. Levando-os, assim, a trabalhar a partir das suas casas e a “arranjar formas criativas de apresentar o seu material”.



Julgas que o humor desempenha uma função importante nesta fase que atravessamos?



Como é desenvolver conteúdo agora?



Sentes que o processo criativo tem sido afetado de alguma maneira nestas semanas?



Consideras que o teu material está a cingir-se mais a esta questão do vírus, pelo menos, por agora?





Consideras que o humor pode funcionar de catarse nesta altura?



Como tem sido trabalhar a partir de casa? Consideras-te produtivo? É algo normal?



Num tom mais leve, quando acabar a quarentena qual é a primeira coisa que queres fazer?




0 comentário

Posts recentes

Ver tudo