• Afonso Loureiro

O Dia em que o trabalho é protagonista

Dia do Trabalhador: a história


No dia 1 de maio, apesar do confinamento que se impõe, celebrou-se (ou, quanto muito, simbolizou- se) o Dia Internacional do Trabalhador. Apesar de, para a maioria da população, ter sido um dia como os outros (porém, para alguns, um pouco mais folgado, por ser feriado) é sempre importante relembrar a sua importância, histórica e social, bem como o seu significado).


O Dia do Trabalhador é uma data comemorativa, com âmbito internacional, dedicada aos vários trabalhadores espalhados pelo mundo. É festejada anualmente no dia 1 de maio, em vários países, sendo até feriado em muitos deles (nomeadamente, em Portugal).


A sua origem remonta ao 1º dia de maio de 1886, nos Estados Unidos da América, mais propriamente, em Chicago, quando mais de 500 mil trabalhadores saíram à rua, numa manifestação pacífica, reivindicando a redução da jornada de trabalho para oito horas (na época, chegava às 17 horas). Como consequência, a polícia tentou dispersar o protesto ferindo e matando dezenas de assalariados.


A 5 de maio desse ano, os operários voltaram a manifestar-se, havendo, mais uma vez, feridos e pessoas presas. A opinião pública discordou da ação da polícia, do Governo e dos empregadores, e, em 1889, o Congresso Operário Internacional reunido em Paris decretou o 1º de Maio como o Dia Internacional dos Trabalhadores. Contudo, só um ano depois é que os operários americanos viram o seu objetivo inicial concretizado.


Uma das principais consequências foi a consagração de mais direitos laborais dos trabalhadores em leis nacionais, sendo exemplo disso o Código do Trabalho português.



Dia do Trabalhador em Portugal


Em Portugal, o Dia do Trabalhador começou a ser comemorado apenas a partir de maio de 1974, após a Revolução dos Cravos.


É comemorado em todo o país, através de manifestações, marchas, celebrações e comícios, de maneira a apresentar ao Governo e às entidades empregadoras quais as necessidades e os direitos que a lei deve dar aos trabalhadores. Sendo feriado é igualmente uma oportunidade para o trabalhador poder descansar, sendo mais uma ajuda à dignificação do seu papel na sociedade.

1 de maio em tempos de pandemia


Não obstante a realidade em que Portugal se encontra, no dia 1 de maio de 2020 houve quem não deixasse de querer festejar. CGTP e PCP juntaram-se e decidiram manifestar-se, em plenos relvados da Alameda, em Lisboa. Até autocarros serviram como transporte aos manifestantes. No entanto, com a devida autorização, dado que foram negociados os termos da comemoração com o Governo e a Direção Geral de Saúde.



Mas, não terá sido uma decisão arriscada, em pleno estado de emergência, uma massa de pessoas deslocar-se ao exterior, para algo que, talvez, pudesse ter sido feito à distância? Por exemplo, como fez a União Geral dos Trabalhadores, que, num vídeo criativo, deixou uma mensagem aos portugueses.



Na opinião dos manifestantes, não foram adotados comportamentos de risco, dado que todos usaram máscaras e mantiveram a distância de segurança entre si, tal como se pode ver na imagem. Mas terão sido os cuidados suficientes que justifiquem a excecionalidade do evento?

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo