Bem-vindos ao mundo não tão encantado dos brinquedos

Artigo por Iliane Soares


Um dos temas que mais destaque ganha nesta quadra natalícia é, sem dúvida, relacionado com brinquedos e, como tal, não há nada mais adequado do que um artigo em que estes são a estrela. No entanto, o texto que se segue vai tratar de um rol um tanto, digamos... específico. Se achavas que os famosos LEGO ou as pecinhas pequenas das Polly Pocket eram objetos perigosos na tua infância, prepara-te para a lista que a Sapiens Digitalis preparou.


1. Hannah Montana Pop Star Card Game


Hannah Montana Pop Star Card Game, Disney


Como o nome indica, trata-se, nada mais nada menos, de um aparentemente inofensivo jogo de cartas, compondo parte do astronómico merchandising criado alusivo à cantora Hannah Montana. Este brinquedo teria, sendo assim, todos ingredientes ideais para ser a prenda perfeita para uma criança, não fosse ter, no entanto, um pequeno “se”. O jogo de cartas continha uma quantidade de chumbo (sim, leram bem) 75 vezes superior à permitida em mercadorias comerciáveis. No entanto, não foram permitidas devoluções graças a uma lacuna jurídica na qual não abrangia o caso específico do chumbo estar presente no vinil e não na tinta das cartas. Destarte, o jogo continuou a ser comercializado como se nada fosse.


2. Bottle Rocket Party


Bottle Rocket Party , Science Wiz



Ah, foguetões... Uma das delícias de qualquer criança. E ter tudo o que se precisa para fazer um autêntico lançamento de um foguetão num kit? Sucesso certo no Natal, não é? Pois, mas e se vos dissesse que este fantástico dispositivo projetável fez parte do “Top 10 Unsafe Toys of 2014” pelo W.A.T.C.H. (World Against Toys Causin Harm, Inc.)? Isto tudo porque, não obstante, o kit conter o foguetão, as rolhas e a fita de segurança necessários para o descolar perfeito, não incluía os óculos de proteção. Ou seja, apesar do foguetão não explodir, os projéteis presentes no brinquedo representavam um risco de lesões graves nos olhos e na cara.


3. Easy Bake Oven


Easy Bake Oven, Hasbro


Quem não conhece pelo menos alguém que teve ou quis ter um forno de brincar? Este brinquedo já existe desde 1963, tornando-se depressa numa referência devido ao seu gigantesco sucesso de vendas. Além da boa receção dos consumidores, este item nunca tinha causado problemas desde a sua criação, até chegar o infame modelo de 2006.... Houve relatos divulgados que indicavam que cerca de 29 crianças tinham ficado com as mãos presas na abertura do forno. Mesmo depois do brinquedo ter sido retirado das lojas e modificado, outros 204 acidentes aconteceram, incluindo 77 queimaduras e uma amputação parcial de um dedo.


Parece que o uso de fornos por crianças, sejam eles quais forem, deve ser sempre supervisionado por um adulto, não?


4. Sky Rangers Park Flyer Radio-Controlled Airplane


Sky Rangers Park Flyer Radio-Controlled Airplane, Estes-Cox Corp


Avião super estiloso que voa através de controlo remoto? Levem o meu dinheiro! Quer dizer... Isto se, entretanto, ainda houver avião. Pois é, este menino pelos vistos podia entrar em combustão a qualquer momento, seja a descolar, a aterrar ou enquanto voava. O resultado desta estranha característica foi: perda de audição temporária, queimaduras, olhos feridos, lacerações na cara, devoluções de exemplares do brinquedo e um gigantesco processo em tribunal.


5. Aqua Dots


Aqua Dots, LongJump


O ácido gama-hidroxibutírico (GHB) é uma substância que pode ser usada para deixar pessoas inconscientes, sendo um dos componentes utilizados nas, infelizmente, famosas date rape drugs. E se vos dissesse que essa substância tanto podia ser encontrada nessas drogas, como também num brinquedo para crianças? Este foi o caso dos famosos Aqua Dots, que continham químicos que após ingeridos e metabolizados pelo organismo se transformavam em GHB. Como este brinquedo era composto por pequenas peças que se colam umas às outras ao colocar água, facilmente acabavam por serem engolidas por crianças. Muitas delas sofreram derrames, outras ficaram em coma e acabaram com danos cerebrais. Depois do surgimento de todos estes casos, cerca de 2.1 milhões destes brinquedos foram devolvidos. Meu Deus.


6. Sky Dancers


Sky Dancers, Play Along Toys


Este foi um dos maiores sucessos dos anos 90, tendo entrado em cena mais propriamente em 1994. O conceito era simples: bonecas que ao puxar um cordão levantavam voo. Até aqui, tudo bem, o problema neste brinquedo, no entanto, estava na aterragem do mesmo. Ora, isto culminou em cerca de 150 relatos de inúmeras lesões como: cegueira temporária, traumatismos, dentes lascados, tendo ainda havido um caso de uma criança que acabou com uma costela partida.


Se calhar, o melhor será mesmo ficar pelas clássicas bonecas terrestres.


7. Colonial Viper


Colonial Viper, Mattel


Pela imagem podem ver que o Colonial Viper tem todo o aspeto de ter sido um brinquedo de sucesso... e de perigo iminente também. O brinquedo continha um míssil projetável, que facilmente era inalado e engolido pelas crianças. Nos anos 70, houve 4 relatos de crianças que dispararam o míssil na cara, para além dos incidentes relacionados com o perigo de asfixia, chegando a resultar na morte de uma criança de 4 anos. Foi depois desse incidente e do cancelamento do brinquedo que a Mattel começou a colocar os famosos autocolantes com avisos de perigo de asfixia, que ainda estão presentes nos dias de hoje, em todos os brinquedos que contivessem peças pequenas.


8. Cabbage Patch Snacktime Kids


Cabbage Patch Snacktime Kids, Mattel


Foi um sucesso no Natal de 1996. O brinquedo tratava-se, nada mais nada menos, de um boneco que comia alimentos de plástico. Este continha um mecanismo que fazia com que qualquer objeto que se colocasse na boca do brinquedo, fosse engolido vagarosamente sem parar. Retirem estas duas ideias principais: “qualquer objeto” e “engolido vagarosamente sem parar”. Podem adivinhar o que aconteceu, certo? Houve mais de 100 relatos de crianças que ficaram com os dedos e cabelos presos nas bocas destes brinquedos, chegando ao extremo de uma delas ter visto parte do seu cabelo ser arrancado da própria cabeça.


O desfecho desta sucessão de acontecimentos foi um reembolso de 40$ oferecido pela Mattel aos clientes que tinham adquirido o brinquedo e a raia retirada do mercado.


9. CSI: Crime Scene Investigation Fingerprint Examination Kit


CSI: Crime Scene Investigation Fingerprint Examination Kit, Planet Toys


Para já, a premissa deste brinquedo augura só de si um desfecho desastroso. Se o público-alvo da série não é de todo o infantil, como é que um brinquedo baseado na mesma poderia ser uma boa ideia? Enfim, não estou cá para julgar, calma. Até porque o problema maior neste brinquedo não passava pelo facto de ser inapropriado, mas sim extremamente nocivo para a saúde de quem o utilizava. O pó usado para retirar as impressões digitais continha amianto, que inalado pode causar problemas respiratórios graves e até mesmo cancro. Graças a este fator, a CBS - a distribuidora da série que cedeu os direitos para que fosse produzido o kit - foi processada e a empresa que criou o brinquedo, Planet Toys, declarou falência.


10. Gilbert U-238 Atomic Energy Laboratory


Gilbert U-238 Atomic Energy Laboratory, A.C. Gilbert


Chegamos finalmente àquele que se diz ser “o brinquedo mais perigoso de sempre”. A crème de la crème do risco de vida. Entre 1910 e 1950 a empresa A.C. Gilbert era um nome de referência no fabrico de brinquedos, sobretudo no que tocava a kits educativos. No entanto, o Atomic Energy Laboratory causou o caos pelos componentes presentes. O brinquedo incluía: um contador de Geiger para medir radiação, uma câmera de nuvem miniatura que detetava partículas subatómicas emitidas pelas substâncias radioativas, um livro informativo, um folheto que ensinava como encontrar urânio e, claro, quatro tipos diferentes de urânio e rádio. Sim, o kit continha urânio e rádio verdadeiros e ensinava como encontrar mais! O Governo dos EUA ainda atribuía uma recompensa no valor de $10.000 a quem encontrasse urânio. Como podem ver, temos aqui presentes os ingredientes para o desastre.


Houve relatos que indicavam que cerca de 10 crianças apresentaram mutações depois do uso do kit e cerca de 5 morreram. Depois de inúmeras denúncias, tanto por parte de especialistas, como de pais, o brinquedo acabou por ser retirado do mercado apenas um ano após o seu lançamento por representar um perigo para as vidas das crianças. E percebe-se bem o porquê.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo